Tipos de ordenha

20160816

Tipos de ordenha

Existem dois tipos de ordenha: manual e mecânica. Quando se trata da qualidade do leite, não há diferença do leite ordenhado manualmente se comparado ao leite ordenhado mecanicamente. Os dois tipos de ordenha não interferem na qualidade em termos de higiene do leite, garantindo contagens baixas de CTB. A escolha pela ordenha manual ou mecânica deverá ser baseada em informações como, por exemplo: infraestrutura da propriedade, número de animais, produtividade animal (kg/dia de leite) e número de funcionários.

Na ordenha manual, o leite é tirado pelas mãos do ordenhador num balde. Os utensílios principais que são utilizados para a ordenha manual são: o balde, o coador/filtro para transferir o leite do balde para o tanque de refrigeração ou latão, a peia para conter as pernas da vaca e o banquinho para o ordenhador sentar e proceder a ordenha. Geralmente, a escolha pela ordenha manual se dá em propriedades cujo número de vacas em lactação é pequeno e/ou a produção de leite diária é menor.

Na ordenha mecânica o leite é tirado através de um equipamento mecânico que simula a mamada do bezerro. Existem informações importantes sobre tipos e dimensionamento do equipamento que o produtor deve conhecer antes de optar pela ordenha mecânica.
Existem quatro tipos de ordenha mecânica: Balde ao pé; Canalizada Linha Alta; Canalizada Linha Intermediária; Canalizada Linha Baixa. Todo equipamento de ordenha mecânica é composto por três sistemas fundamentais:
Sistema de Vácuo: Bomba de Vácuo, Regulador, Reservatório, Frasco Sanitário, Vacuômetro e Tubulação de Vácuo.

A bomba de vácuo é considerada a parte principal do equipamento de ordenha. As mais utilizadas no Brasil e, em sua maioria, no mundo, são as bombas rotativas de palhetas com rotor excêntrico. A sua função é extrair o ar do sistema de ordenha comprimindo-o e eliminando para a atmosfera pelo escapamento. As bombas variam em capacidade, que deve ser proporcional à quantidade de unidades deordenha e acessórios que tenha o equipamento. Esta capacidade se mede em litros/minuto de ar livre que a bomba é capaz de extrair a 50 kPa (quilo Pascal) de pressão de vácuo. A força motora requerida para acionar estas bombas é normalmente de 1 HP para cada 300 litros de ar extraído por minuto, isto para caso de motores elétricos, e de 2 HP para cada 300 litros de ar, para motores à explosão. Existem normas nacionais que estabelecem a capacidade de bomba necessária para cada instalação.

Os reguladores de vácuo cumprem a função de manter estável o nível de vácuo de toda a instalação. Permitem entradas de ar exterior ao equipamento e interrompem esta entrada de acordo com as variações no nível de vácuo, que são provocadas por ingressos de ar em outros pontos como unidades de ordenha, pulsadores, descarregadores, etc. Existem vários tipos de reguladores com diferentes mecanismos: regulador à mola; contrapeso invertido; e o(s) servo assistido(s), que representam a geração mais moderna de reguladores, pois respondem rapidamente e são de alta capacidade. Os níveis de vácuo recomendados são, respectivamente: Balde ao pé: 50 kPa; Canalizada Linha Alta: 48 a 50 kPa; Canalizada Linha Intermediária: 45 a 47 kPa; Canalizada Linha Baixa: 42 a 44 kPa.

O reservatório de vácuo tem como função evitar que cheguem líquidos (detergentes, água ou leite) à bomba de vácuo. Este funciona como um sistema de segurança. Deve ser instalado o mais próximo possível da bomba. Deve possuir um sistema de drenagem dos líquidos, dispositivo este que permita esgotar rapidamente o líquido acumulado.
O frasco sanitário só é encontrado em sistemas de ordenha canalizada. Suas funções são de impedir a passagem de leite desde a unidade final até o sistema de vácuo, e, por sua vez, evitar a contaminação do leite na unidade final.

A função do vacuômetro ou “relógio” do equipamento é indicar o nível de vácuo com que está trabalhando. Deve estar localizado à vista do ordenhador. As normas atuais determinam que ele seja instalado próximo ao sensor do regulador de vácuo antes das unidades de ordenha. A sequência ideal de instalação é: Bomba de vácuo – Reservatório de vácuo – Regulador – Vacuômetro – Unidades de Ordenha.
A tubulação de vácuo tem como função conduzir o ar até a bomba, de onde será expulso. Atualmente trabalha-se exclusivamente com tubulação de PVC. O ponto mais importante é o dimensionamento correto conforme Tabela 1.

Tabela 1. Diâmetro da tubulação (polegadas) de acordo com a capacidade da bomba de vácuo:

Balde ao Pé Diâmetro da tubulação (pol.)
Bombas até 260 litros 37987
Bombas de 260 a 590 litros 37257
Bombas acima de 600 litros 2
Canalizada- linha média central 2
Canalizada- linha média baixa 3

Fonte: CNPGL EMPRAPA

/ Notícias

Share the Post

About the Author

Comments

No comment yet.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Contato

Seu nome (obrigatório)

Seu e-mail (obrigatório)

Telefone

Cidade

Estado

Assunto

Sua mensagem

Carrinho

  • Nenhum produto no carrinho.